quinta-feira, 5 de março de 2020

Imprimir

Informaq
Programa Novo Rio Pinheiros é debatido com representantes da Sabesp

Está previsto o investimento de mais de R$ 2 bilhões de reais para fazer a despoluição do Rio Pinheiros até dezembro de 2022

Para discutir o projeto de despoluição do Rio Pinheiros referente às Unidades Recuperadoras da Qualidade (URQs) de Jaguaré, Antonico, Cachoeira, Água Espraiada e Pirajussara, Silvio Leifert, Superintendente de Gestão de Empreendimentos da SABESP, participou da reunião do Sistema Nacional das Indústrias de Equipamentos para Saneamento Básico e Ambiental (SINDESAM), no dia 20 de fevereiro, na sede da ABIMAQ, em São Paulo.

Leifert frisou que a Sabesp não está adquirindo obra, tecnologia e equipamentos, mas está comprando fator de desempenho e resultado final. “Para ter um bom desempenho você tem que ter acertada a tecnologia, os equipamentos precisam ser adequados e perfeitamente montado senão você não atinge o objetivo”.

O superintendente da Sabesp explicou que a companhia irá adotar o contrato de performance, uma forma moderna de contratação de serviços que alinha com a iniciativa privada o objetivo final, ou seja, a melhoria da qualidade da água do córrego. Com esse modelo, a empresa fica responsável por todas as obras de ampliação e adequação do sistema de esgoto e sua remuneração depende do resultado. Quanto mais limpa ficar a água maior será a compensação financeira.

“Nós oferecemos dois tipos de prêmio. Um é prazo e eficiência. Se vocês anteciparem a obra terá um bônus, que já está computado no valor do contrato. O outro é se a sua tecnologia for muito boa receberá um valor adicional”, completou Leifert. 

O representante da Sabesp acrescentou que o modo da licitação será aberto por meio de pregão online e que o ganhador será aquele que oferecer o menor preço aliado com a técnica. Além disso, a participação será para as empresas nacionais ou companhia estrangeira estabelecida no Brasil. Já o prazo do contrato será de 10 anos, divididos na parte de obra e manutenção. “É muito importante que as empresas já tenham o protocolo de licença da CETESB - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo e outras licenças necessárias para fazer obra para não correr risco de tomar multa”. 

Leifert informou que as empresas terão a oportunidade de visitar as obras nos dias 4 e 25 de março. “A visita terá duração de uma hora. Não faz parte do processo licitatório, apenas achamos importante vocês conhecerem a área” 

PRESIDÊNCIA SABESP 

Para abordar despoluição do Rio Pinheiros, no dia 19 fevereiro, José Velloso, presidente executivo da ABIMAQ, Estela Testa, presidente do SINDESAM, e Fernando A. Pio da Silva, vice-presidente do SINDESAM, reuniram-se com Benedito Braga, presidente da SABESP, Silvio Leifert, , Superintendente de Gestão de Empreendimentos, e Edison Airoldi, diretor de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente. 

Estela disse que a reunião foi solicitada no sentido de conhecer todos os investimentos que vêm sendo feitos pela Sabesp no projeto de despoluição do Rio Pinheiros. “Esses projetos têm muitos equipamentos que os associados do SINDESAM e de outras câmaras da ABIMAQ podem ajudar. Por isso o nosso interesse de acompanhá-los. Estamos sendo tratado com muita transparência pela Sabesp com acesso a todas as informações necessárias para que estejamos preparados para participar das licitações”

Fonte:
© Copyright 2020 Abimaq. Todos os direitos reservados.