Buscar por:  



Edição Extra
select



Edição Fim de Semana
select
Edição 9996 de 15/03/2019

Destaque

01 - Previsão de déficit primário cai para R$ 98,17 bi


A estimativa de déficit primário do Governo Central – formado pelo Tesouro Nacional, a Previdência Social e o Banco Central – passou da cifra de R$ 99,560 bilhões para R$ 98,175 bilhões em 2019.

Instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Economia reduziram a previsão para o resultado negativo das contas públicas neste ano. A estimativa segue abaixo da meta de déficit perseguida pelo governo, de R$ 139 bilhões. O resultado primário é formado por receitas menos despesas, sem considerar os gastos com juros.

Os dados constam da pesquisa Prisma Fiscal, elaborada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia todos os meses, com base em informações do mercado financeiro.

Para 2020, a estimativa das instituições financeiras é de déficit de R$ 68,405 bilhões, contra R$ 65,462 bilhões previstos em fevereiro. A meta de déficit primário para o próximo ano é R$ 110 bilhões.

A previsão das instituições financeiras para as despesas passou de R$ 1,423 trilhão para R$ 1,419 trilhão, neste ano, e de R$ 1,482 trilhão para R$ 1,483 trilhão, em 2020. A estimativa de receita líquida do Governo Central permaneceu em R$ 1,322 trilhão em 2019, e passou de R$ 1,417 trilhão para R$ 1,420 trilhão em 2019.

A pesquisa apresenta também a projeção para a dívida bruta do Governo Central, que, na avaliação das instituições financeiras, deve ficar em 78% do Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país) neste ano. Essa previsão é a mesma do mês passado. Para 2020, a estimativa ficou em 79,24% do PIB, ante 79,30% previstos em fevereiro passado. 

Curto prazo 

O Prisma atualizou as projeções fiscais para este e os próximos dois meses. Para março, a estimativa de déficit subiu de R$ 19,393 bilhões para R$ 20,193 bilhões. Para abril, a previsão de superávit passou de R$ 10,976 bilhões para R$ 10,243 bilhões. Para maio, a projeção de saldo negativo foi de R$ 13,481 bilhões para R$ 14,397 bilhões.

Fonte: Agência Brasil, DCI

Índice

03 - Treinamento da ABIMAQ promove capacitação de profissionais que lidam com válvulas de segurança e alívio


Conhecida por sua capacidade de proteção em diversas categorias de equipamentos utilizados nas indústrias, as válvulas de segurança e alívio são de extrema importância nesses ambientes e saber manuseá-las com precisão e alto conhecimento é fundamental, para que os materiais utilizados na produção, como água, vapores, gases, dentre outros componentes químicos sejam preservados, além do trabalhador responsável.

Por esses motivos, a ABIMAQ - Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e equipamentos - desenvolveu o curso que irá capacitar ainda mais as equipes de empresas que fazem uso do dispositivo. O treinamento acontece nos dias 20 e 21 de março, na sede da entidade que fica em São Paulo.

Durante o encontro, o foco será proporcionar aos participantes conhecimentos teóricos a respeito das válvulas de segurança e alívio, que mais são utilizadas nas plantas industriais, petroquímicas, de papel, celulose, siderúrgicas, álcool, açúcar, entre outras produções de químicas em geral.

O treinamento, ministrado por Artur Cardozo Mathias, técnico mecânico industrial e responsável pelo setor de válvulas na indústria de celulose, é direcionado a profissionais da área, estudantes e encarregados pela segurança nas fabricações.

O conteúdo programático, que visa contemplar as camadas mais profundas das técnicas de manuseio, irá trabalhar temas como:

Histórico das válvulas de segurança
Princípios de operação (funcionamento)
Classes de pressão
Limites de aplicações (pressão e temperatura)
Sede metálica e sede resilente
Materiais de construção para corpo, castelo e componentes internos
Contrapressão superimposta (constante e variável); contrapressão desenvolvida
Tipos de castelos, alavanca e capuz (aberto, fechado e suas aplicações)
Principais terminologias
PMTA – Pressão de Projeto – Acumulação – Sobrepressão
Pressão de Alívio – Pressão de Ajuste – Pressão de operação
Diferencial de Alívio para caldeiras e vasos de pressão
Inspeção (testes e calibração)
Procedimentos conforme API Std. 527 e API RP 576
Exigências da NR13 (prazos de inspeção para caldeiras, vasos e tubulações)
Inspeção de Componentes
Teste de Pressão Diferencial a Frio
Teste de Recepção e da Pressão de Ajuste (compensação pela contrapressão e temperatura)
Testes (Real e On-Line) em operação
Testes de vazamentos na bancada e em operação (tolerâncias permitidas)
Testes de Contrapressão
Ajuste de aneis para válvulas de caldeiras e vasos de pressão
Regras para escalonamento da pressão de ajuste para caldeiras (Balão de Vapor e Superaquecedor)
Regras para escalonamento da pressão de ajuste para vasos (Válvula Única e Múltiplas Válvulas)
Faixa de ajuste da mola
Tolerâncias da Pressão de Ajuste para Caldeiras e Vasos de Pressão
Dimensionamento de Válvulas de Segurança e Alívio
Equações de Dimensionamento da áreado bocal conforme API e ASME
Informações necessárias do fluido (vapor saturado, vapor superaquecido, água, óleo, gases)
Capacidade de Vazão (requerida, máxima e certificada)
Unidades de Vazão Aplicadas
Coeficientes de Descarga (Kd x K)
Fatores de Correção (Ksh; Kw; Kb; Kv; Kn; Kp; Kc)
Cálculos para caldeiras e vasos de pressão
Normalização e Padronização da vazão para ar comprimido e outros gases
Condições de Escoamento Crítico e Subcrítico
Cálculos para líquidos (Água e Óleos)
Instalação
Instalação em Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações
Boas práticas recomendadas para as tubulações de entrada e de saída
Limites de queda de pressão na entrada e saída de válvulas em caldeiras e vasos de pressão
Instalação em vasos protegidos com válvula única e com múltiplas válvulas
Instalação em conjunto com disco de ruptura e com válvulas redutoras de pressão
Válvula de Bloqueio a Montante e/ou a Jusante da Válvula de Segurança
Fenômenos operacionais (Chattering, Simmering e Flutting) – Causas e Soluções
Cuidados necessários no armazenamento, transporte e instalação
Acidentes envolvendo caldeiras e vasos de pressão.

Válvulas de Segurança e Alívio
 
Data: 20 e 21 de março 
Horário: das 9h às 18h 
Local: Sede ABIMAQ SP – Avenida Jabaquara, 2925 (Próximo à Estação São Judas do Metrô)
Telefone para contato: (11) 5582-6321/5703 
Mais informações pelo site www.abimaq.org.br/cursos

Fonte: Meio Filtrante, Jornal Dia Dia, 2+ Cosmeticos, Radar Industrial, Portal Fator Brasil

Índice

04 - Movimento anima setor de máquinas e implementos na Expodireto


Entidades setoriais estimam um crescimento de 10% no volume de negócios

O movimento intenso no parque da Expodireto está deixando os expositores do setor de máquinas e implementos agrícolas animados. Apesar de não ter números oficiais sobre a intenção de compra até o momento, as entidades setoriais estimam um crescimento de 10% no volume de negócios na feira em 2019. Um dos fatores que pode contribuir para o incremento é a indefinição sobre os moldes do próximo Plano Safra.

O presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas da ABIMAQ, Pedro Estevão Bastos, observa que muitos produtores estão antecipando as compras. “Se o produtor precisa comprar, não tem porque esperar o segundo semestre. Não existe nenhum motivo para arriscar a pegar uma taxa de juros mais alta”, afirma.

Para Bastos, o Moderfrota deve ter recursos até 15 de abril. “A chance de não ter dinheiro existe, é real. O produtor está adiantando a compra. Projetamos um incremento de 10% nas vendas da Expodireto em relação ao ano passado”, afirma.

O diretor-presidente da Jacto, Fernando Gonçalves, também vislumbra um cenário positivo. “Teremos vendas melhores do que em 2018, mas não tem como precisar ainda um percentual”, diz. Segundo Gonçalves, as incertezas sobre a continuidade do financiamento federal contribuem para o crescimento nas vendas. “O produtor tem expectativa de que o financiamento continue, mas não recebeu nenhuma sinalização do governo federal. Um pouco mais para a frente ele pode ser surpreendido pela falta de recursos. Além da possibilidade de acabar o dinheiro, o produtor está buscando tecnologia. Quer modernizar para ampliar a produtividade. Os dois fatores estão influenciando a geração de negócios”, salienta.

Já presidente do Simers, Cláudio Bier, está otimista com as intenções de negócios na Expodireto, mas destaca que não há motivos para preocupação com o Novo Plano Safra. Bier observa que a ministra Tereza Cristina está aberta ao diálogo para atender as demandas do setor. "Conversamos com a ministra e, em breve, ela deve nos receber para uma reunião em Brasília para debater o Plano Safra", projeta.

O presidente também revelou que recebeu informações de uma fonte ligada ao governo federal de que não haverá corte de crédito para o setor. "Foi uma boa notícia de bastidor, que veio de uma fonte que pediu para não ser identificada. Não vai faltar dinheiro para financiamentos. O Plano Safra também não deve ter os juros tão elevados como estão alarmando. Ficamos mais otimistas e esperançosos", prevê Bier, que acredita que a geração de negócios no setor de máquinas agrícolas deve somar R$ 2,4 bilhões.

O produtor José Eloir de Melo e o filho Rodrigo Melo, de Água Santa, também as condições especiais da feira para fazer negócio. Optaram pelo pagamento à vista e compraram um trator Valtra A104S cabinado. “Fazia tempo que estávamos pesquisando. Queríamos um trato zero quilômetro. Viemos para a Expodireto e encontramos vantagens para fechar negócio”, afirma Eloir.

O produtor de grãos Miguel Turella, 20 anos, de Charrua, adquiriu um trator MF6713R na Expodireto. "Estava analisando o mercado e aproveitei as melhores condições da feira para fazer a compra. Com o investimento em tecnologia, espero manter a qualidade da safra", afirma Turella.

Fonte: Correio do Povo, Alfosin

Índice

05 - PLÁSTICO BRASIL - Feira Internacional do Plástico e da Borracha


Data: 25 a 29 de março de 2019
Horário: Das 10h às 19h
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – São Paulo – SP)

Iniciativa: ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química.

Promoção e organização: Informa Exhibitions

Expositores: mais de 600 marcas nacionais e internacionais

Setores: máquinas; equipamentos e acessórios; matérias-primas e resinas; moldes e porta moldes; automação industrial e robótica; periféricos; entre outros produtos, serviços e soluções.

Público: em torno de 45 mil visitantes/compradores

Entrada: Gratuita para profissionais do setor, com credenciamento online (www.plasticobrasil.com.br) ou no local

Mídias Sociais: facebook.com/plasticobr

Fonte: Indústria 4.0, Ubrafe, Seap Usinagem, Blog do Plástico

Índice

06 – Agreste Tex sorteia viagem à maior feira têxtil da América


Durante os dias 19 e 22 de março, pequenos e grandes empresários do ramo de confecções terão a oportunidade de participar da maior feira do Agreste no setor, a Agreste Tex, realizada no Polo Comercial de Caruaru pelo Febratex Group e Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic). Mas, quem tiver sorte, poderá também garantir a participação na maior feira da indústria têxtil de todo o continente americano, a Febratex 2020, que acontecerá na cidade de Blumenau, Santa Catarina.

Para concorrer é necessário realizar a inscrição antecipara através do site da Agreste Tex (WWW.AGRESTETEX.FCM.COM.BR) e, claro, comparecer ao evento, que começa todos os dias às 16h. As inscrições na quarta edição da feira que será realizada em Caruaru são gratuitas.

Já no próximo ano a Febratex chegará à sua 17º edição, reforçando seu status de maior feira das américas e uma das mais importantes do mundo. O evento acontece a cada dois anos e também é promovido pelo Febratex Group.

Sobre o Febratex Group

O Febratex Group é uma empresa 100% brasileira que está no mercado há 25 anos, especializada na promoção e organização de feiras de negócios, principalmente nos segmentos de máquinas e insumos para o setor têxtil, de impressão digital e coureiro-calçadista. O portfólio da empresa reúne as feiras Febratex, Maquintex, Signs Nordeste, Agreste Tex e Febratex Summit.

Patrocinadores e Apoiadores

A Agreste Tex 2019 é promovida pelo Febratex Group e a Associação Comercial e Empresarial de Caruaru, com patrocínio das empresas Avil, Makital e Vicunha Têxtil. O evento conta com o apoio da ABIMAQ, Abit, ABTT, ACIT, ASCAP, Cativa, Denim School, NTCPE, SEBRAE, Sistema FIEPE SENAI e Sinditêxtil|PE. A Feiratur é a agência oficial da feira, e a UBRAFE é a
empresa associada.

Serviço:
Agreste Tex – Feira de Máquinas, Serviços e Tecnologia para a Indústria Têxtil

Fonte: Blog do Wagner Gil

Índice

07 - 9º Seminário de Comércio Internacional


20.03.2019 – Hotel InterContinental – São Paulo

8:30 – 9:00: Credenciamento e welcome coffee

9:00 – 9:30: Abertura
Marcio de Carvalho Silveira Bueno | Presidente do IBRAC
Francisco Niclós Negrão | Diretor de Comércio Internacional do IBRAC

9:30 – 10:50
Painel I – A inserção da economia brasileira nas cadeias globais de valor em um cenário de guerra comercial: limites e possibilidades

Convidados:
Michael Ewing-Chow | Universidade Nacional de Singapura
Uallace Moreira Lima | Universidade Federal da Bahia

Debatedores:
Rabih Nasser | Nasser Sociedade de Advogados
Andréa Cruz | Marchini Botelho Caselta Advogados

10:50 – 11:15: Coffee Break

11:15 – 13:00: Painel Especial – A nova omc, o novo sistema multilateral de comércio e a inserção do brasil neste novo contexto

Convidados:
Roberto Azevêdo | Diretor-Geral da Organização Mundial do Comércio
Marcos Troyjo* | Secretário Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia
André Odenbreit Carvalho | Ministro-Conselheiro, Diretor do Departamento de Organismos Econômicos Multilaterais da Secretaria de Política Externa Comercial e Econômica do Ministério das Relações Exteriores

Debatedores:
Marcio de Carvalho Silveira Bueno | Presidente do IBRAC
Gabriel Petrus | Diretor Executivo do ICC Brasil
Francisco Niclós Negrão | Diretor de Comércio Internacional do IBRAC

13:00 – 14:30: Almoço

14:30 – 15:15: Painel II – O redesenho institucional das autoridades de comércio exterior no novo governo

Convidado: 
Marcos Troyjo* | Secretário Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia

Debatedores:
Carla Junqueira | Presidente da Comissão de Estudos de Comércio Internacional do Instituto dos Advogados de São Paulo
Marina Carvalho | Diretora Presidente da Associação pela Indústria e Comércio Esportivo (APICE)
Francisco Filho | Gerente de Relações Governamentais e Legal para América Latina da Procter & Gamble

15:15 – 16:30: Painel III – alterações tarifárias no novo governo: o que muda na análise e no processo decisório?

Convidada: Ana Paula Lindgren Alves Repezza | Secretária Executiva Adjunta da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX)

Debatedores:
José Velloso Dias Cardoso | Presidente Executivo da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ)
Rodrigo Pupo | MPA Trade Law

16:30 – 16:45: Coffee Break

16:45 – 18:00: Painel IV – O sistema de defesa comercial no novo governo: mudança de paradigma e os desafios da avaliação de interesse público pelo decom

Convidada: 
Amanda Athayde | Diretora do Departamento de Defesa Comercial e Interesse Público do Ministério da Economia

Debatedores:
Vera Kanas | TozziniFreire Advogados
Michelle Ratton Sanchez Badin | Professora na FGV Direito SP e Co-Diretora da Red Latinoamerica de Derecho Económico Internacional
Julia Krein | Grinberg Cordovil Advogados

Encerramento: A confirmar.

Fonte: IBRAC

Índice

08 - AMPLA realiza lançamento inovador na FESPA Brasil| Digital Printing 2019


De 20 e 23 de março, a AMPLA Impressoras Digitais, fabricante brasileira e fornecedora de equipamentos de impressão digital, participa da FESPA Brasil|Digital Printing 2019, reconhecido como o mais importante evento de impressão digital do país. Em seu stand - sempre um dos mais movimentados da feira -, a empresa apresenta aos visitantes o lançamento de uma Impressora Flatbed (plana) UV LED com tinta branca. A FESPA Brasil| Digital Printing 2019 acontece no ExpoCenter Norte, na capital paulista.

O Diretor de Novos Negócios da AMPLA e Vice-Presidente da CSMEG - Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos para Gravação, Impressão, Acabamento e Conversão da ABIMAQ -, Ricardo Lie, declara: "A 'FESPA Brasil' recebe uma visitação qualificada já no início do ano tornando o evento estratégico porque nos proporciona a geração de oportunidades de novos negócios e, ao mesmo tempo, receber nossos clientes e estreitar relacionamentos em um mesmo lugar".  

Impressão na cor branca

A Impressora Flatbed (plana) ELITE FB 2514HD com 03 ou 06 cabeças industriais Gen5 CMYK + W realiza impressão da cor branca. O equipamento possui um avançado sistema de circulação de tinta para evitar a decantação do branco e é equipada com a tecnologia de cura UV LED, que garante elevada eficiência energética. Outro diferencial do lançamento é a impressão de alta definição (HD) proporcionada pelas cabeças industriais Gen5 com resolução de até 1200dpi e 7pL de volume variável. A Impressora Flatbed ELITE FB 2514HD foi desenvolvida para atender a uma grande diversidade de aplicações:

•Imprime em materiais flexíveis e rígidos com até 8 cm de espessura e dimensões de 1,25 x 2,50 m;

•Permite impressão em materiais sensíveis ao calor;

•Com a tinta branca é possível imprimir em substratos transparentes ou com fundo escuro ou colorido;

•Permite impressão com acabamento em relevo;

•Possibilita a impressão de imagens com alta definição, com cores vibrantes e textos com fontes pequenas.

Serviço:
AMPLA na FESPA Brasil 2019|Digital Print
Data: 20 a 24.03.2019
Horário: 13h00 às 20h00
Local: ExpoCenter Norte/ Pavilhão Azul
Avenida B, Rua 8, Stand 821
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme - São Paulo (SP)

Fonte: Textilia

Índice

09 - PLÁSTICO BRASIL 2019: Impressão 3D é mais um dos destaques da feira


Uso desta tecnologia tem avançado no ambiente industrial, desde a execução de pequenas séries de peças plásticas e produção de ferramentais, até dispositivos auxiliares de fabricação.

Entre os muitos segmentos industriais representados pela Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, a feira reunirá empresas que atuam como fornecedoras de equipamentos ou insumos para os processos de manufatura aditiva, também conhecidos como impressão 3D.

A prestação de serviços neste segmento também é fundamental, sendo que, em alguns casos, a mesma empresa fornece os equipamentos e oferece serviços valendo-se da flexibilidade e da diversidade de oportunidades de negócio que esta crescente atividade oferece.

Os visitantes da Plástico Brasil poderão contar com importantes marcas da impressão 3D, comoUP3D, Perfilpolimer, AE3D, Fastparts e SKA, que demonstrarão a utilidade desta tecnologia para o setor do plástico.

Embora o processo não seja mais uma novidade, a manufatura aditiva se mostra cada vez mais promissora. E não é para menos, já que a técnica tem avançado não só na fabricação de componentes e bens para o uso imediato, mas também no ambiente industrial, onde se faz desde a execução de pequenas séries de peças plásticas e produção de ferramentais, até dispositivos auxiliares de fabricação, ou ainda a confecção de componentes metálicos finais, com grande característica técnica.

De suma importância, a impressão 3D realiza suas operações em diferentes tipos de processos, entre os quais sinterização seletiva a laser, estereolitografia, modelamento por deposição de material fundido, impressão por jato, sinterização direta a laser, fusão por feixe de elétrons e laminação de deposição seletiva. Hoje, a impressão 3D tem sido aplicada até na confecção de dispositivos de auxilio á manufatura, inclusive, com o uso de filamentos transparentes e antiestáticos. Há também equipamentos que processam materiais dissimilares simultaneamente.

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais já garantiram seu apoio ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros, que vislumbram na Plástico Brasil a melhor oportunidade para se modernizar e competir num mercado em ascensão.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER BUSINESS CENTER – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel e o SMED (Single Minute Exchange of Die), demonstração de troca rápida de moldes sem qualquer interação humana, formato nunca apresentado em feiras setoriais na América Latina.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Realização

ABIMAQ - A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos representa cerca de 7.500 empresas dos mais diferentes segmentos fabricantes de bens de capital mecânicos, cujo desempenho tem impacto direto sobre os demais setores produtivos nacionais e está estruturada nacionalmente com a sede em São Paulo, nove regionais e um Escritório Político em Brasília. Muito além da representação institucional do setor, a ABIMAQ tem a sua gestão profissionalizada e as suas atividades voltadas para a geração de oportunidades comerciais para as suas associadas, realizando ações junto às instâncias políticas e econômicas, estimulando o comércio e a cooperação internacionais e contribuindo para aprimorar seu desempenho em termos de tecnologia, capacitação de recursos humanos e modernização gerencial.

A ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 16 de junho de 1964, que congrega indústrias químicas de grande, médio e pequeno portes, bem como prestadores de serviços ao setor químico nas áreas de logística, transporte, gerenciamento de resíduos e atendimento a emergências. A associação realiza o acompanhamento estatístico do setor, promove estudos específicos sobre as atividades e produtos da indústria química, acompanha as mudanças na legislação e assessora as empresas associadas em assuntos econômicos, técnicos e de comércio exterior. A entidade ainda representa o setor nas negociações de acordos internacionais relacionados a produtos químicos.

Sobre a Informa Exhibitions

A Informa Exhibitions, divisão de exposições globais da Informa PLC, permite que as comunidades em todo o mundo se engajem, experimentem e façam negócios, fornecendo-lhes plataformas poderosas para se conectarem a regiões-chave e mercados verticais. O conhecimento do setor, aliado a uma abordagem inovadora e centrada no cliente, oferece aos clientes e parceiros da Informa Exhibitions a oportunidade de criar vantagens comerciais e acessar os mercados, tanto digital quanto presencial, 365 dias por ano.

Sobre a Informa PLC

A Informa PLC é um grupo líder internacional de serviços de informações entre empresas que opera em mais de 30 países. Nós criamos feiras lideradas por transações e eventos baseados em conteúdo, dados de especialistas, produtos de serviços de inteligência e marketing, bem como pesquisas acadêmicas e conteúdo acadêmico especialista orientado por referências. Nossos produtos e serviços ajudam empresas e profissionais a se conectar, aprender, fazer negócio e conquistar uma vantagem sobre a concorrência. A Informa é cotada na Bolsa de Valores de Londres e é membro do FTSE 100.


PLÁSTICO BRASIL - Feira Internacional do Plástico e da Borracha

Data: 25 a 29 de março de 2019
Horário: Das 10h às 19h
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – São Paulo – SP)
Iniciativa: ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química.
Promoção e organização: Informa Exhibitions
Expositores: mais de 600 marcas nacionais e internacionais
Setores: máquinas; equipamentos e acessórios; matérias-primas e resinas; moldes e porta moldes; automação industrial e robótica; periféricos; entre outros produtos, serviços e soluções.
Público: em torno de 45 mil visitantes/compradores
Entrada: Gratuita para profissionais do setor, com credenciamento online (www.plasticobrasil.com.br) ou no local
Mídias Sociais: facebook.com/plasticobr

Fonte: Ubrafe, Seap Usinagem, Blog do Plástico, Ferramental

Índice

Comércio Internacional

01 – Dólar volta a subir e encerra aos R$ 3,8489


O dólar voltou a subir na sessão de ontem e fechou em alta de 0,93%, aos R$ 3,8489. Após cair nos quatro último pregões, investidores realizaram lucros e reforçaram as compras da moeda, acompanhando a valorização da divisa no mercado internacional.

O movimento veio em meio a novos indícios de desaceleração da economia mundial, demora de um acordo entre Pequim e Washington e das indefinições sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit. Preocupações com a reforma da Previdência também pesaram e, por isso, o real foi a moeda que mais perdeu valor ante o dólar ontem em uma lista das 24 principais divisas internacionais. 

A moeda norte-americana operou em alta desde a abertura e chegou na máxima do dia, em R$ 3,8548, em meio a votações no Parlamento britânico sobre medidas para o Brexit, algumas delas rejeitadas, causando estresse nos mercados de moedas. No final, o Parlamento aprovou o projeto para pedir adiamento da saída ao menos até 30 de junho. Antes disso, dados da produção industrial da China, que mostraram expansão abaixo do esperado no primeiro bimestre, no menor ritmo em 17 anos, já haviam provocado aumento da aversão ao risco e fortalecimento do dólar.

No mercado doméstico de câmbio, não repercutiu bem nas mesas a decisão do governo de entregar ao Ministério da Economia um projeto de mudança da Previdência dos militares que prevê aumento dos salários da categoria. 

Mercado acionário 

Depois de ter renovado seu recorde histórico, aproximando-se do emblemático patamar dos 100 mil pontos, o Índice Bovespa cedeu novamente aos ajustes e terminou o pregão de ontem em baixa de 0,30%, aos 98.604,67 pontos.

Os negócios somaram R$ 12,2 bilhões. Embora a confiança no avanço da reforma da Previdência não tenha se dissipado, faltou, segundo operadores, notícia nova que impulsionasse o indicador a superar a resistência psicológica à marca dos seis dígitos. 

“Depois da euforia da quarta-feira, o mercado operou ancorao nos 100 mil pontos. É uma marca que não quer dizer nada, mas muitos 'players' têm estado ancorados nela”, disse Rafael Winalda, analista da Toro Investimentos. Com a resistência psicológica e a falta de novidades significativas sobre a Previdência, diz, não houve fôlego para o índice continuar avançando. Ainda assim, o Ibovespa acumula ganho de 3,16% em março.

Os dados de produção industrial da China derrubaram os preços de commodities, o que penalizou as ações de Vale e Petrobras. Uma recuperação parcial dos preços do petróleo favoreceu a petroleira, que fechou com ganhos de 1,13% (ON) e de 0,32% (PN). Vale ON fechou perto da estabilidade, com alta de 0,02%. O bloco financeiro, porém, foi determinante para o sinal negativo do Ibovespa. Itaú Unibanco PN caiu 1,58% e Banco do Brasil ON cedeu 0,76%.

O mercado de juros deu sequência, ontem, ao movimento de correção de parte do alívio de prêmios visto nos últimos dias. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2020 fechou a etapa regular em 6,390%, de 6,355% no ajuste anterior e o DI para janeiro de 2021 subiu de 6,911% para 6,97%. A taxa para janeiro de 2023 terminou em 8,08%, de 7,982% e o DI para janeiro de 2025 avançou de 8,501% para 8,61%.

Fonte: DCI

Índice

02 - Bolsas da Ásia fecham em alta


O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) não surpreendeu ninguém ao manter as taxas de juro e as compras de títulos soberanos japoneses, na reunião de política monetária encerrada hoje. 

Com isso, o destaque do dia nos mercados acionários da Ásia foi a alta dos índices da China, depois de o primeiro-ministro, Li Keqiang, ter dito em discurso que o governo vai considerar corte nas taxas de juros e das exigências de reservas dos bancos para combater a pressão descendente em curso na economia.

O índice Nikkei, referência da Bolsa de Tóquio, fechou a sessão de hoje em alta de 0,77%, a 21.450,85 pontos. Na China, o Xangai Composto avançou 1,04%, a 3.021,75 pontos, enquanto, em Shenzhen, o índice de referência avançou 1,43%, a 1.641,37 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng subiu 0,56%, a 29.012,26 pontos, e, em Seul, o Kospi avançou 0,95%, a 2.176,11 pontos. 

Na semana, o Nikkei acumulou ganho de 2,02%, o Kospi, de 1,81%, Xangai, de 1,75%, Shenzhen, de 2,25%, e Hong Kong, de 2,78%. Encerrada a primeira quinzena do mês, Tóquio avança 0,31%, Seul perde 0,88%, Xangai ganha 2,75% e Shenzhen, 6,15%, enquanto Hong Kong avança 1,32% em março.

Fonte: Valor Econômico

Índice

Industria

01 - Exportações das indústrias gaúchas caem em fevereiro


A redução da demanda externa provocou retração nas exportações totais gaúchas em fevereiro, segundo os dados divulgados ontem pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs). As vendas externas do Estado fecharam em US$ 1 bilhão, queda de 14,6%. "O resultado de fevereiro, especialmente pela diminuição dos pedidos de compras de importantes parceiros comerciais, nos distancia ainda mais da recuperação que o setor industrial necessita em função das perdas sofridas nos últimos anos", arma o presidente em exercício da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Gilberto Ribeiro. 

A retração do setor de máquinas e equipamentos nas exportações gaúchas no mês passado chegou a 73,7%. Contribuiu para esse fato a redução nas vendas de máquinas e equipamentos agrícolas para a Argentina (menos US$ 10 milhões), juntamente com a comercialização não recorrente de mercadorias do setor para a China, em fevereiro de 2018. No ano passado, a China adquiriu US$ 85 milhões em compressores de gases e US$ 44,6 milhões máquinas e aparelhos mecânicos com função própria, o que não se repetiu em 2019. 

Produtos químicos, cujas vendas caíram 24,7% em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2018, também exerceram forte inuência para o resultado negativo das exportações gaúchas. Os embarques do setor para a Argentina e a China caíram US$ 40 milhões. 

Outra contribuição signicativa para o resultado das exportações do Estado foi o desempenho do grupo de produtos básicos (-92,1%), cujas vendas externas somaram apenas US$ 20 milhões neste mês. Somente a venda de soja caiu 99,1%, com US$ 2 milhões comercializados, o menor valor desde 2015. Historicamente, os embarques de soja para o exterior apresentam forte sazonalidade, indicando pouca ou quase nenhuma venda externa nos primeiros meses do ano. A exceção foi no ano passado, quando se exportou US$ 200 milhões em fevereiro.

Em relação às importações, o Estado adquiriu US$ 833 milhões em mercadorias, assinalando a primeira retração (-7,5%) para fevereiro desde 2016. Combustíveis e lubricantes (-28,7%) e Bens de consumo (-36,7%) puxaram a queda das importações no mês. 

Nos dois primeiros meses de 2019, as exportações do Rio Grande do Sul acumularam US$ 3,8 bilhões, retração de 10,9% ante o primeiro bimestre do ano passado. Por sua vez, a indústria gaúcha também apresentou uma queda de 5% sob a mesma base de comparação, atingindo US$ 3,6 bilhões. Desconsiderando o registro das plataformas, o setor secundário assinalou alta de 2,5%, enquanto as exportações totais do Estado apresentaram decréscimo de 7,9%. 

Parceiro comercial relevante do Rio Grande do Sul, a Venezuela passa por grave crise econômica. O vizinho sul-americano despencou 19 posições no ranking de exportações anuais do Estado, passando do 10º parceiro comercial, em 2012, para o 29º, em 2018. 

Principais destinos das exportações gaúchas (fevereiro 2019/fevereiro 2018)

1º - Estados Unidos: crescimento de 24,3%, totalizando US$ 138 milhões. Principal produto: Resinas termoplásticas. 2º - China: retração de 73,4%, totalizando US$ 114 milhões. Principal produto: Tabaco. 3º - Argentina: retração de 44,1%, totalizando US$ 81 milhões. Principal produto: Automóveis, caminhonetas e utilitários.

Fonte: Jornal do Comércio

Índice

01 - Lançada a INTECHTRA, feira voltada para as indústrias de alimentos, bebidas e embalagens


Foi lançada a INTECHTRA, feira de negócios que atenderá às indústrias de alimentos, bebidas e embalagens no Brasil e na América do Sul. O evento, que acontecerá a cada dois anos no São Paulo Expo, terá sua primeira edição entre os dias 29 de setembro e 2 de outubro de 2020. A organização é da Messe München do Brasil (Fone: 11 3868.6340), com apoio da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – ABIMAQ. A nova feira reunirá expositores nacionais e internacionais dos setores de tecnologias para envase e embalagem, processamento de alimentos e bebidas, automação, matérias- -primas, ingredientes, componentes e soluções logísticas. Para a primeira edição, os organizadores esperam que a INTECHTRA apresente uma área de exposição de 30 mil metros quadrados e receba 20 mil visitas, de 20 países. A meta é de que a quinta edição, em 2028, tenha 54 mil metros quadrados e registre 35 mil visitantes, de 40 países. “Acreditamos sinceramente nesse potencial. Entregaremos esses resultados”, garante Augusto Andrade, diretor de Feiras da Messe München do Brasil. Por sua vez, Ricardo Cilento, diretor do Conselho de Administração e membro da Câmara Setorial de Máquinas para as Indústrias de Máquinas para Alimentos, Farmacêutica e de Refrigeração Industrial (CSMIAFRI) da ABIMAQ, diz que o “setor quer um evento de caráter técnico, com máquinas em demonstração e público qualificado. Serão esses os alicerces da nova feira”.


Fonte: Log Web

Índice

02 - Plástico Brasil 2019: Impressão 3d é mais um dos destaques da feira


Uso desta tecnologia tem avançado no ambiente industrial, desde a execução de pequenas séries de peças plásticas e produção de ferramentais, até dispositivos auxiliares de fabricação.

Entre os muitos segmentos industriais representados pela Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, a feira reunirá empresas que atuam como fornecedoras de equipamentos ou insumos para os processos de manufatura aditiva, também conhecidos como impressão 3D.

A prestação de serviços neste segmento também é fundamental, sendo que, em alguns casos, a mesma empresa fornece os equipamentos e oferece serviços valendo-se da flexibilidade e da diversidade de oportunidades de negócio que esta crescente atividade oferece.

Os visitantes da Plástico Brasil poderão contar com importantes marcas da impressão 3D, como UP3D, Perfilpolimer, AE3D, Fastparts e SKA, que demonstrarão a utilidade desta tecnologia para o setor do plástico.

Embora o processo não seja mais uma novidade, a manufatura aditiva se mostra cada vez mais promissora. E não é para menos, já que a técnica tem avançado não só na fabricação de componentes e bens para o uso imediato, mas também no ambiente industrial, onde se faz desde a execução de pequenas séries de peças plásticas e produção de ferramentais, até dispositivos auxiliares de fabricação, ou ainda a confecção de componentes metálicos finais, com grande característica técnica.

De suma importância, a impressão 3D realiza suas operações em diferentes tipos de processos, entre os quais sinterização seletiva a laser, estereolitografia, modelamento por deposição de material fundido, impressão por jato, sinterização direta a laser, fusão por feixe de elétrons e laminação de deposição seletiva. Hoje, a impressão 3D tem sido aplicada até na confecção de dispositivos de auxilio á manufatura, inclusive, com o uso de filamentos transparentes e antiestáticos. Há também equipamentos que processam materiais dissimilares simultaneamente.

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais já garantiram seu apoio ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros, que vislumbram na Plástico Brasil a melhor oportunidade para se modernizar e competir num mercado em ascensão.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER BUSINESS CENTER – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel e o SMED (Single Minute Exchange of Die), demonstração de troca rápida de moldes sem qualquer interação humana, formato nunca apresentado em feiras setoriais na América Latina.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Realização

ABIMAQ - A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos representa cerca de 7.500 empresas dos mais diferentes segmentos fabricantes de bens de capital mecânicos, cujo desempenho tem impacto direto sobre os demais setores produtivos nacionais e está estruturada nacionalmente com a sede em São Paulo, nove regionais e um Escritório Político em Brasília. Muito além da representação institucional do setor, a ABIMAQ tem a sua gestão profissionalizada e as suas atividades voltadas para a geração de oportunidades comerciais para as suas associadas, realizando ações junto às instâncias políticas e econômicas, estimulando o comércio e a cooperação internacionais e contribuindo para aprimorar seu desempenho em termos de tecnologia, capacitação de recursos humanos e modernização gerencial.

A ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 16 de junho de 1964, que congrega indústrias químicas de grande, médio e pequeno portes, bem como prestadores de serviços ao setor químico nas áreas de logística, transporte, gerenciamento de resíduos e atendimento a emergências. A associação realiza o acompanhamento estatístico do setor, promove estudos específicos sobre as atividades e produtos da indústria química, acompanha as mudanças na legislação e assessora as empresas associadas em assuntos econômicos, técnicos e de comércio exterior. A entidade ainda representa o setor nas negociações de acordos internacionais relacionados a produtos químicos.

Sobre a Informa Exhibitions

A Informa Exhibitions, divisão de exposições globais da Informa PLC, permite que as comunidades em todo o mundo se engajem, experimentem e façam negócios, fornecendo-lhes plataformas poderosas para se conectarem a regiões-chave e mercados verticais. O conhecimento do setor, aliado a uma abordagem inovadora e centrada no cliente, oferece aos clientes e parceiros da Informa Exhibitions a oportunidade de criar vantagens comerciais e acessar os mercados, tanto digital quanto presencial, 365 dias por ano.

Sobre a Informa PLC

A Informa PLC é um grupo líder internacional de serviços de informações entre empresas que opera em mais de 30 países. Nós criamos feiras lideradas por transações e eventos baseados em conteúdo, dados de especialistas, produtos de serviços de inteligência e marketing, bem como pesquisas acadêmicas e conteúdo acadêmico especialista orientado por referências. Nossos produtos e serviços ajudam empresas e profissionais a se conectar, aprender, fazer negócio e conquistar uma vantagem sobre a concorrência. A Informa é cotada na Bolsa de Valores de Londres e é membro do FTSE 100.

Fonte: Ubrafe, Seap Usinagem, Blog do Plástico, Revista Ferramental

Índice

Setor

01 - Produção de petróleo global tem queda de 340 mil bpd em fevereiro, diz AIE


A produção de petróleo global continuou a diminuir em fevereiro, graças a cortes na oferta da Arábia Saudita e Venezuela, que integram a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), segundo a Agência Internacional de Energia (AIE).

Em relatório mensal divulgado hoje, a AIE estima que a produção mundial da commodity sofreu queda de 340 mil barris por dia (bpd) no mês passado, a 99,7 milhões de bpd. O número, porém, ainda ficou 1,5 milhão de bpd acima do nível de fevereiro de 2018, ressaltou a agência.

A Opep como um todo cortou sua produção em 240 mil bpd em fevereiro, a 30,68 milhões de bpd, o menor nível em quatro anos.

Apenas a Arábia Saudita, líder informal da Opep, reduziu a oferta do mês passado em 100 mil bpd, a 10,14 milhões de bpd. O relatório aponta que a produção saudita recuou 920 mil bpd desde os níveis recordes que atingiu em novembro do ano passado.

No fim de 2018, a Opep e aliados liderados pela Rússia decidiram reduzir sua produção em 1,2 milhão de bpd durante o primeiro semestre de 2019, como parte de uma estratégia para conter a oferta global excessiva e impulsionar os preços do petróleo. A Opep se responsabilizou por um corte de 800 mil bpd e os aliados, pelos demais 400 mil bpd.

Mas a produção da Opep também foi influenciada pelo resultado da Venezuela, onde a oferta registrou declínio de 100 mil bpd em fevereiro, para 1,14 milhão de bpd, volume 410 mil bpd menor do que o de um ano antes. Além de enfrentar uma grave crise econômica, a Venezuela está sob sanções dos Estados Unidos.

Ontem, a Opep divulgou seu próprio relatório mensal, que mostrou queda de 221 mil bpd na oferta do cartel em fevereiro, também por causa da Arábia Saudita e Venezuela.

A AIE, entidade com sede em Paris que presta consultoria a governos e empresas sobre tendências do setor de energia, também reiterou sua projeção de avanço na demanda global por petróleo em 2019, em 1,4 milhão de bpd. (DCI)

02 - Volume de serviços prestados cai 0,3% em janeiro ante dezembro, afirma IBGE

O volume de serviços prestados encolheu 0,3% em janeiro de 2019 ante dezembro de 2018, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informou nesta sexta-feira, 15, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o resultado foi revisto de uma alta de 0,2% para aumento de 1,0%.

O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam desde uma queda de 0,40% a um avanço de 0,70%, com mediana positiva de 0,20%.

Na comparação com janeiro do ano anterior, houve alta de 2,1% em janeiro de 2019, já descontado o efeito da inflação no período. Nessa comparação, as previsões iam de avanço de 0,20% a 2,70%, com mediana positiva de 1,80%. A taxa acumulada no ano foi de 2,1%. Em 12 meses, houve elevação de 0,3%.

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado. Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal caiu 0,3% em janeiro ante dezembro. Na comparação com janeiro de 2018, houve aumento na receita nominal de 5,6%.

Fonte: DCI

Índice
Imprimir esta edição

Apoio institucional